Obrigado Senador Aécio Neves

Excelência,

 

            Parabenizo-o entusiasticamente não apenas pela mais linda campanha política que tive oportunidade de acompanhar em minha vida e já desesperava imaginando que não tornaria a acontecer comigo vivo. O Sr. consegue demonstrar através do exemplo algo que há muito havia se esquecido nesta Nação. Foram tantas surpresas felizes que meramente arrolá-las constitui tarefa hercúlea.

            A Ética pode novamente ser compreendida a partir do exemplo vivo, não há mais espaço para aquela ética por decreto, incompreensível. O Sr. traduz compêndios sobre a Ética num linguajar que a nossa gente entende e que merecerá anos de estudos.

            À medida que fui captando a mensagem, passei a retransmiti-la com entusiasmo nas redes sociais e já sou o portador de uma grande notícia: nossa gente, quando desembaraçada dos obstáculos, entende o Espírito do Tempo, muda de postura e avança! É uma mensagem unívoca e está viva. Sou professor e sei que o processo de aprendizagem é assim mesmo: alguns entendem de pronto, outros demoram um bocadinho e a classe, tendo cinco pessoas ou sendo composta por mais de duzentos milhões de seres humanos só pode avançar para a próxima lição uma vez haver dominado bem o conteúdo da presente. Já conseguimos demonstrar a metade do Brasil a elevação de valores fundamentais como a Honra, o Cavalheirismo, a Decência, a Cortesia e o Respeito. Felicito a todos nós e a quem nos deu um Norte por essa conquista. Percebi pelo seu olhar franco e voz clara, linear e unívoca, que o Sr. não apenas combateu o bom combate: está pleno a serenamente avançar. 

            Seu artigo para o Tendências e Debates da Folha do último domingo é uma peça de porte monumental que disseca vários problemas criados pela atual administração, apontando soluções; indo além em sua abundante generosidade, o Sr. embute ali um projeto de Nação que talvez seja a lição mais difícil pela frente. O contraponto é de uma puerilidade embaraçosa. 

            Estou feliz. O Sr. resgatou sentimentos que estavam sufocados em nosso peito. Temos um Norte.

Obrigado Senador Aécio Neves

Lázaro Curvêlo Chaves, Professor - 28/10/2014