Unificar o Protesto: FORA DILMA!

 

 

 

 

            O Protesto contra a Carestia, a Corrupção e o Desgoverno do último dia 12 de Abril foi menos numeroso localmente – embora bem mais representativo em termos nacionais – que aquele do dia 15 de Março.

            Várias coisas contribuíram para que aquilo acontecesse:

_ Lula da Silva se empenhou pessoalmente em confundir as coisas (sua especialidade) e também em cooptar potenciais aliados a que não surgisse nenhuma notícia nova potencialmente inflamatória de quem lhe faz oposição, afinal, o inflamador universal é ele! Uma das confusões criadas diz respeito à PL 4330 de Autoria de um deputado da Base Alugada – diz respeito a terceirizações de serviços diversos e é algo ainda mais danoso ao trabalhador que as privatizações tucano-petistas que seguem a pleno vapor – incumbiu o Banqueiro Joaquim Levy, atuando como Ministro da Fazenda, de fazer lobbies no Congresso junto à oposição e à Base Alugada para conseguir os votos necessários à aprovação da medida, considerada “necessária para o ajuste econômico”, orientando os partidos diretamente ligados ao governo (PT/PCdoB/PSOL, como de costume, no topo da lista), a fazer discursos vorazes contra a “medida das terceirizações” assim como a votar a seu favor caso seu voto fosse necessário e a votação fosse secreta. Paralelamente a isso, organizou grupos de pressão ligados ao governo para “protestar” contra a medida governamental como se o governo não tivesse absolutamente nada com aquilo. Maquiavélico. Genial. Eficiente. E Sórdido!

_ Ao contrário dos organizados pelo governo – e mesmo assim com participação pífia! – os Protestos não tiveram apoio direto do governo em transportes, lanches ou o que o valha. Além disso, composto majoritariamente por pessoas que precisam trabalhar a semana inteira, ocorreram num Domingo à Tarde...

_ As palavras de ordem se diluíram muito: havia até grupos a favor do governo no meio do protesto dizendo coisas como “somos contra a Corrupção, mas não queremos que a Dilma saia”. Na outra ponta, como costuma acontecer, pequenos grupos, numericamente insignificantes, mas magnificados por uma mídia sempre áulica (a funcionária remunerada pelo Ministério das Comunicações e dublê de jornalista da Globo News Cristiana Lobo, mal continha sua efusão antes mesmo que o protesto se desenvolvesse e festejava feliz: “veja só como há menos gente nessa manifestação de hoje...”; “A Dilma nunca foi tão Dilma!”) grupos numericamente insignificantes portavam faixas igualmente irrelevantes pedindo uma irracional “Intervenção Militar Constitucional”.

            Intervenção Militar é INCONSTITUCIONAL, o próprio cartaz e a proposta são em si contraditórios, trazendo mais confusão que em algo ajudando. Há um bom artigo na página "JusBrasil" explicando em detalhes. Clique aqui para ler.

            A insatisfação dos Militares, contudo, é perfeitamente compreensível: juramos defender “COM O SACRIFÍCIO DA PRÓPRIA VIDA”, a Honra, a Integridade e as Instituições Pátrias. Como digo alhures, a Honra se perdeu há tempos em meio a tanta roubalheira comprovada: o maior desvio de dinheiro público desde o início da Civilização Ocidental. Em segundo lugar e concordando com meu Grande Amigo Marco Antônio Villa, a pátria foi Desintegrada por um Projeto de Poder que nada tem de ideológico (como de costume, discursou-se de um jeito e governa-se de outro...) e tudo de idiossincrásico: usou-se de calúnias, difamações, injúrias e se pregou de maneira furibunda, colérica, “contra eles que nos odeiam” enquanto do outro lado havia um discurso falando de Honra, Dignidade, Justiça, Seriedade, Governança... Dividiu o país, criou, no dizer de Villa, “Um País Partido” nessa que foi – seu estudo é magistral, desde as primeiras eleições republicanas até a última em 2014, vale realmente à pena ler o livro INCLUSIVE para conhecer melhor a História do Brasil – “a eleição mais suja da nossa história”. O Terceiro Ponto, e mais grave de todos é este: as Instituições da República começam a desmoronar pelo Executivo e pelo Legislativo; a recente nomeação para o Supremo Tribunal Federal (a ser confirmada no que promete ser uma duríssima sabatina no Senado Federal) de um petista desafeto pessoal do Juiz Sérgio Moro a quem, consta, Lula da Silva vem se empenhando em afastar de suas atribuições desde o início das Investigações da Operação Lava Jato leva uma severa carga de descrédito à Instituição Republicana do Poder Judiciário também!

            Resta-nos a Pátria, cuja Honra, Integridade e Instituições precisam é ser recompostas! E nessa RECOMPOSIÇÃO o papel dos Militares será fundamental e, aí sim, plenamente Constitucional.

            O primeiro passo é UNIFICAR O PROTESTO. Quando há muita gente (e somos muitos, somos milhões!) pensando diferente em direções diversas, o melhor a fazer quando se precisa de algo centralizado e claro, é simplificar ao máximo o que se propõe.

            FORA DILMA!

            Eis o cerne do protesto que pode ser compreendido e repetido facilmente por todos em toda a nossa diversificada Nação. Consta nas “pesquisas” que ainda há cerca de 11% dos eleitores de outubro passado ainda contrários a essa proposta. Somos, portanto, A SE ACREDITAR NAS TAIS PESQUISAS, cerca de 89% de BRASILEIROS que almejamos em conjunto: FORA DILMA – as diferenças (“Intervenção Constitucional”, “Contra a Corrupção, mas com Dilma no Cargo” e outras BOBAGENS que ouvimos) precisam ser suplantadas pela Unificação e Pelo Bem da Nação, além de Reforçar o Movimento!

            Argumenta-se em vão que, em caso de Impeachment, assumiria o Vice-Presidente eleito na mesma chapa e também politicamente desgastado. Bobagem. Vamos nos recordar da história, gente... Quando depusemos o Collor de Mello, seu Vice, Itamar Franco, assumiu o Poder nominalmente. EVIDENTEMENTE enfraquecido ao assumir um cargo que sequer almejava num quadro de Insatisfação Nacional, precisou montar um governo de coalizão nacional com todos os partidos e muita ética, pois estava debaixo de rigoroso escrutínio popular: severa vigilância. Não tenho dúvida que o quadro fosse diferente se esse fosse o caminho da saída da presidente.

            A filigrana jurídica que permite a um ser humano, embora sob suspeição de haver cometido crimes diversos para conquistar o cargo que ocupa (no caso, a Presidência da República) mas impedir a investigação do mesmo ser humano uma vez empossado, precisa e pode ser aprofundada, claro, mas esse é outro tema e temos de nos concentrar agora na palavra de ordem unificada: FORA DILMA! Sobre a filigrana, há vários pareceres, como este da Procuradoria Geral da União, por exemplo:

 http://leonardosarmento.jusbrasil.com.br/artigos/172170208/lava-jato-dilma-nao-deveria-ser-investigada-nossa-hermeneutica-para-o-impedimento-constitucional-do-art-86-da-crfb.

            Em síntese, o § 4º do Artigo 86 reza: "O Presidente da República, na vigência de seu mandato, não pode ser responsabilizado por atos estranhos ao exercício de suas funções". Mesmo que “o exercício de suas funções” haja sido conquistado de maneira criminosa? O debate está em aberto.

 

 

Sugestões mais simples

            Esta semana recebi pelo Facebook vários convites contendo iniciativas de atuação na direção que a maioria dos BRASILEIROS anseia. Um deles prega uma “Greve Geral” para o dia 26 de Junho próximo. Complicado demais articular uma Greve Geral, particularmente num país de dimensões continentais que se rebaixou a regulamentar TANTO o “direito de greve” de maneira a forçar a continuidade de todas as atividades mesmo quando o profissional grevista está no exercício de seu protesto legítimo e constitucional. Não acredito no sucesso de algo assim.

            Uma outra propondo uma “Marcha para Brasília” pedindo o Impeachment de Dilma Rousseff com saída de São Paulo a 24/04 e chegada naquelas lonjuras prevista para 27/05 também parece irrealista. Por um lado, como disse alguém também naquela Rede Social, “Seja Renúncia, Impeachment, Exílio, o que importa é que a queremos FORA!” Por outro, o povo trabalhador do Brasil dificilmente consegue amealhar os recursos necessários a um movimento desse porte. Temos de optar pelas alternativas MAIS SIMPLES POSSÍVEIS. Ao alcance de todos.

             Há um ponto de altíssima relevância, que parece fugir à percepção da maioria dos usuários do Facebook: somos proporcionalmente poucos os BRASILEIROS naquela Rede Social. Não conheço as estatísticas (mesmo que nelas confiasse) a respeito. Sei que há mais gente SEM COMPUTADOR do que acessando sequer a Internet nesse BRASIL Enorme! A mobilização pela rede é relevante, é importante, mas não deve ser considerada a única nem exagerado o seu alcance.

Primeira Sugestão: BARULHAÇO às 15h do dia 21 de Abril, momento do martírio de Tiradentes, o Herói Brasileiro. Cada BRASILEIRO pode apitar, assobiar, buzinar sua moto ou carro (se tiver moto ou carro, eu mesmo não tenho, nem mesmo sei dirigir!), botar para tocar bem alto o Hino Nacional Brasileiro repetidas vezes, seja num toca-fitas, DVD Player, o que for! Isso é factível. E desejável. PESSOALMENTE ouvirei - até por gostar muito - CANÇÕES PATRIÓTICAS BEM ALTO durante todo o dia 21 de Abril próximo! Estamos pagando os impostos mais caros senão do mundo, seguramente de toda a História do Brasil. Não podemos nos esquecer de que a Luta dos Inconfidentes foi contra o “quinto” cobrado pela Coroa Portuguesa (20%, “O Quinto dos Infernos”.). Hoje a cobrança PREDATÓRIA de impostos nos esfaqueia em mais de 40% de tudo o que produzimos, sem retorno outro que não uma propaganda tão linda quanto mentirosa! Um BARULHAÇO às 15h do dia 21 de Abril, portanto, seria uma forma de nos manifestarmos em todo o país bradando a um só tempo contra a cobrança predatória de impostos que em nada revertem a nós mas, principalmente, seria um FORA DILMA a ser ouvido do Alto do Monte Olimpo! Leia sobre a Inconfidência Mineira, que teve em Tiradentes a figura de maior destaque, neste link. Há mais de uma década vimos sendo lesados, roubados e ofendidos em muitas coisas. Na Memória do Herói Nacional que lutou contra um estado de coisas similar, gravíssimo contudo bem menos que o atual estado de coisas, NÃO PODEMOS PERMITIR QUE NOS ROUBEM! Imagine-se a gravidade de os cobradores de mais de DOIS QUINTOS DOS INFERNOS tentarem comandar as celebrações de uma Data Cívica de quem lutava contra 1 (UM) Quinto dos Infernos! Nós dizemos NÃO!

Segunda Sugestão: paralisações curtas e constantes. Se marcaria um dia na semana – toda Sexta-Feira, por exemplo, para uma paralisação geral de todas as atividades por 15 (QUINZE) minutos apenas, na volta do almoço dos trabalhadores. Que podem inclusive ser acompanhadas de novos BARULHAÇOS.

Queremos ser ouvidos. Pelo mundo. Dizemos de maneira uníssona: FORA DILMA!

Lázaro Curvêlo Chaves – 17/04/2015

Em tempo: conheço meu lugar no Esquema Cósmico das Coisas, nos termos em que escrevi sobre a noção Grega de Gnōthi Seauton. Estou EM FORMA, NO MEU LUGAR, de Pé e a Ordem para Servir à Pátria! (LCC)

 

 

 
 

 

 

Leitura Básica Fundamental à Compreensão do Momento Histórico que estamos vivendo

 
 
Copyleft © LCC Publicações Eletrônicas Todo o conteúdo desta página pode ser copiado e divulgado para fins não comerciais. É educado sempre citar a fonte...Contato: https://www.facebook.com/lazaro.chaves